PLANETA ILUSTRAÇÃO - I

**English version coming soon**

Um mês e meio depois - com direito a muitos prazos, muitas correrias e novidades - aqui estou eu de volta! =)

A ideia é falar sobre o Planeta Ilustração, o primeiro evento criado pela Universidade do Papel para tratar do assunto.

É muita coisa para falar, então eu pensei em dividir tudo em 3 posts: nesse primeiro vou falar das ilustrações que eu levei para a exposição e responder várias das perguntas que me foram feitas, e que algumas talvez tinham respostas muito complexas pra aquele momento; no segundo - sobre os trabalhos de outros ilustradores talentosíssimos que eu tive a oportunidade de conhecer e no terceiro sobre a Universidade do Papel. Tenho motivos para deixar esse assunto por último e não, não é por dar pouca importância, ou por ingratidão, muito pelo contrário - na verdade a Universidade muito possivelmente passará a ser um tema recorrente por aqui, se tudo der certo! ^_^

Hoje em dia talvez a Universidade do Papel dispense apresentações, mas vou me dar a liberdade de roubar um trechinho de informação do site oficial:
"A Universidade do Papel começou com o movimento de um artista: o desejo de Enrique Rodriguez de disponibilizar sua arte e técnica ao alcance de todos.
.
É um projeto inovador, o primeiro do estilo na América Latina, que oferece atividades artísticas transformadoras como vivências e projetos sociais, sempre utilizando o papel como matéria-prima.
Métodos de aprendizado de qualidade desenvolvidos na própria Universidade e o acompanhamento direto de artistas e profissionais permitem que qualquer pessoa possa criar verdadeiras obras de arte.
.
A Universidade abre um espaço de estudo e discussão sobre métodos e substratos, oferecendo um contato direto com artistas e suas técnicas, buscando novas possibilidades de manifestações artísticas que utilizam o papel como base.
.
Na correria do dia-a-dia, não ouvimos o essencial. Afinal, o que queremos? Quem somos? O que desejamos mostrar para o mundo? São questões que deixamos de lado, encaramos a vida de maneira prática e esquecemos de enxergar com o coração. Estar de peito aberto é criar conexões com você mesmo e com as pessoas à sua volta, recebendo e retribuindo generosidade.
.
Na Universidade do Papel, nós ajudamos você através da arte a dar um mergulho profundo em você mesmo e buscar uma nova maneira de expressar suas emoções. O agora é um convite e o sentir é nossa verdadeira obra de arte. Vamos sentir juntos?"


Acho que eu realmente não consigo precisar o momento em que eu "descobri" a Universidade do Papel. Sigo o projeto pelas redes sociais há algum tempo, mas sempre que me inscrevia em alguma vivência, acabava desmarcando por ser de manhã - e essa ainda era uma época de Faculdade, TCC e estágio, então levantar da cama cedo era um tormento ainda maior do que geralmente é.

Mas, recentemente, uma amiga também apaixonada por papel viu o post da seleção para o Planeta Ilustração e me marcou - obrigada, Rê! -. Aí veio todo o mimimi, que eu duvido que vá embora mesmo com anos de carreira ("mas eu realmente não acho que esteja pronta!")... Mas, né, o não a gente já tem (só falta a humilhação)! hahahaha

Mesmo não acreditando que fosse ser selecionada, enviei o portfólio e boom, no dia seguinte veio um follow back no Instagram. Pensem numa criança feliz. Em seguida veio o contato, mas não era por causa do Planeta Ilustração, mas sim pelas joias de papel: ao mesmo tempo em que eu fiquei muito feliz que alguém como o Enrique tenha gostado do meu trabalho e com uma nova porta que se abria, por outro achei que o evento de ilustrações já era caso perdido, então teve também aquela pontiiinha de expectativa frustrada. Ah, humanos.

Mas no final deu tudo certo e no dia 18 de Julho chegou a mensagem de que eu havia selecionada! Pensem, de novo, numa criança muito feliz. E desesperada, porque né - "Ai, meu Deus, eu preciso tirar print de tudo, e preparar as bases para expor! Será que tudo bem se for assim? Tem algum inconveniente se for assado?" - ansiosa quem? Eu? lol

A verdade é que as vezes é difícil de ver tudo aquilo que todo mundo da Universidade do Papel viu no meu trabalho, maaaassss, vou fazer de tudo para retribuir essa generosidade!




Durante a feira me fizeram muitas perguntas: "Mas qual é a sua técnica?" /"Você desenhou tudo isso mesmo?" /"É Photoshop? Illustrator?" /"Mas noooooossaaaa, não parece!"/"De onde você tira sua inspiração?"/ "Qual o seu estilo?!"/ "Qual a história por trás desse desenho?"

- AAAAAAAAAAHHHHHHHH! *pânico!*

Ufa, voltando! hahahaha - como o mínimo de ilustrações eram oito e eu levei trinta e algumas (!), cada uma de uma época diferente e com um propósito diferente, foi muito difícil de responder. Mesmo. Porque uma exibição é um evento super dinâmico, então é pouquíssimo tempo para compilar tudo aquilo que seria necessário dizer, ou mesmo filtrar o que pode ser relevante ou não - depende da pessoa que perguntou. E justamente para alguém que não fala muito, foi bem desafiador.

Por isso, cá estamos, com um post para falar desses trabalhos. COM CALMA.


- Kushis:
Gente, os Kushi-Kushi fizeram sucesso! o_o ~ Eu realmente não estava esperando por isso. Essas bolinhas de pelo fofas são mascotes do evento de animação e cultura pop japonesa Anime Friends, acho que comprei esse verde água, que deixei na mesa, em 2005! Os originais dessas ilustrações são A6 e fazem parte de um sketchbook que precisei entregar na faculdade (segundo semestre de 2012), para a aula de desenho. Como o objetivo era só treinar as manchas de aquarela, as formas simples dos Kushis serviram bem... As cores e as situações foram inspiradas em algumas amigas e memórias que tivemos, por exemplo, aquele Kushi com um copo gigante de Coca. Quem me conhece só um pouquiiiiinho sabe que sou eu. É um vício do capiroto! hahaha / P.S.: achei que colocar os 3 bichinhos de pelúcia na mesa ficaria over, então deixei um só. Aham. Menos, criança!


- NYC :
O original dessa arte é enorme! Ela foi feita para o Moxy Times Square, em 2017, então tinha mais de quatro metros de altura! Reduzir para um tamanho aceitável foi difícil, então foi um pouco triste que nem todo mundo tenha notado ela lá ~~
Basicamente todos os elementos ilustram pontos clássicos de NYC, deu muito trabalho de fazer, mas foi uma delícia! ♥ 


Começando por cima: A lua é a bonequinha de luxo e as pérolas do colar fazem as estrelas, no plano de fundo tem a sobra dos edifícios e uma Coca-Cola, um plano à frente dos edifícios escuros, tem os edifícios iluminados e um Cosmopolitan em cima de um deles.   Daí temos os instrumentos musicais, remetendo às noites de jazz e um pouco para baixo mais prédios, mas de arquitetura mais contemporânea, no plano de fundo. Para frente temos o maravilhoso Chrysler building, meu edifício favorito em NY, a Estátua da Liberdade e um prédio residencial comum - na cobertura dele temos o Homem Aranha (comendo um donut).  Estão na ilustração também as clássicas faixas amarelo e pretas, bem NCYS, uma roda gigante de Coney Island, um esquilo (workaholic) tomando café, as luminárias do Central Park, muitos jornais, um cupcake gigante, um boné do New York Yankees, a ponte do Brooklyn, aquela fumaça esquisitíssima das ruas de NYC, um letreiro de Times Square com um garfo roqueiro (existiu e eu tenho foto disso!), uma mala de viagem que virou um edifício, com as clássicas escadarias externas... o Guggenhein do mestre FLW, muitas batatas fritas, um rolo de cinema, a big apple, livros, um corvo segurando o café (que na verdade é o asfalto da ilustração), um muro de tijolinhos, o Fantasma da Ópera (), o Touro de Wallstreet e a garota destemida, os clássicos hidrantes vermelhos e um táxi muito anos 20.

Pronto, posso respirar de novo? hahahaha, são muitas referências! Enfim, tava lá, ok? u_u E pela posição da minha mesa não tinha uma parede realmente disponível, então tive que encapar uma tela aqui de casa e levar para a Universidade.



...Agora que falei dessas duas, vou tentar - tentar!- continuar por ordem cronológica!


- Emojis:
Trabalho da faculdade. Nessa época, eu ainda cursava Arquitetura e estava bem cansada com o fato de que as matérias artísticas estavam diminuindo ao longo do curso.... Então isso foi para aula de Ilustração... Uma matéria extra da Publicidade (!!) que eu puxei para a minha grade! =P Esses emojis são inspirados em vários bem comuns nas trocas de mensagem entre japoneses... uma ilustração bem simples na verdade, toda no Photoshop, apenas pelo humor.


- Gui:
O nome do urso é Gui. O motivo é uma piada interna. Esse desenho data muito provavelmente de algum mês de 2011. O ano em que eu tomei toda a coragem necessária para trancar Arquitetura e prestar vestibular para Design. Na época doeu, mas foi uma boa decisão. =)
A ilustração foi feita com lápis de cor aquarelável e esse urso, como muitos já sabem, mora na minha cama desde 2006.


- Sin:
Estamos em 2012! Essa ilustração é da mesma época dos Kushis. =) Sin é simplesmente um dos nomes sugeridos, dentre os quais eu tinha que escolher. Essa ilustração é um estudo sobre cores frias, num A4+, em aquarela. Inspirações? Sim eu vi/joguei/jogo Pokémon. Eu sei que é óbvio! Hahahaha

Mas o que não é óbvio?!

O cenário veio de uma criação do meu diretor japonês favorito, Shigeaki Kubo, para o clip de debut do meu grupo de j-pop favorito! Se ficar a curiosidade, vou deixar o vídeo aqui embaixo! =P  Aliás, é engraçadíssimo, porque é um cenário muito bonito para 7 moçoilos que na época não sabiam o que era direita e o que era esquerda.




- Steampunk (parte 1):
Ainda estamos em 2012 e essa ilustração também foi um estudo para a aula de Desenho, mas dessa vez sobre cores acromáticas. Então decidi fazer algo bem steampunk. Também aquarela sobre canson A4+. Uma curiosidade... a o sketch original é "metade" dessas asas e foi rabiscado - mesmo - no famoso sketchbook dos Kushi-Kushi. E isso foi durante um jantar com meus pais, no meu aniversário. E eu não estava festiva, porque na semana anterior tinha perdido uma cachorra. =(


- Under the Sea:
2013! Lápis de cor aquarelável sobre Vergê A4. Composição lúdica de alguém que passou muito tempo lendo Tsubasa Reservoir Chronicle e tinha acabado de ganhar dos pais uma caixa linda de Caran d'Ache.


- Steampunk (parte 2):
2014 foi um ano insano! Essa ilustração é um Vergê A4, feito com grafite e nanquim. Na verdade é uma versão melhorada da minha página de sketchbook, que gerou a ilustração acromática da parte 1. Por que "reaproveitar" um desenho? Bom, levando em conta que todo o processo de criação é meu anyway, não tem como ser chamado de cópia e esse desenho foi para a matéria de História em Quadrinhos... uma entrega perto da época do carnaval... Mas eu fiz a louca e decidi comprar uma passagem para Tóquio no meio do semestre letivo! hahahaha - Então para não "perder" tempo e administrar os 20 dias que eu ia passar fora, precisei repetir conceitos originais em matérias diferentes! =P #prontofalei / P.S.: De todos os trabalhos que eu levei para o Planeta Ilustração, apenas esse e o próximo não são prints. mas sim as ilustrações originais. =)


- Neko:
2014. Nanquim com pincel sobre Vergê A4. Para a lista de trabalhos corridos e efetivos para salvar o semestre! Hahahaha... Sendo totalmente honesta, eram 3, o terceiro era a mesma ilustração das cores frias, mas feita com nanquim e bico de pena. Só que eu não faço ideia de onde esteja o original e, por alguma razão, não tenho a imagem também... o_o - Assim como o anterior, esse foi um dos únicos originais que eu levei para a exposição.



- Flower print:
Segunda metade de 2014 e aqui temos uma mudança importante! Não é só Photoshop, tem Illustrator também! =D Logo depois que eu voltei do Japão, comecei a estagiar numa galeria de arte (porque né, pagar a viagem também é necessário) e lá Illustrator era lei. Então eu fui obrigada a superar a bronquinha que eu tinha em usar o Illustrator (ainda acho ele muito demorado para certas coisas) e, preferencialmente, dominar o uso do software. Dessa brincadeira saiu esse floral meio abstrato.


- Hipster Moon:
2015. Abertamente uma ilustração experimental e hipster. hahahaha - não nego. Basicamente os celulares foram melhorando, então mesmo que seja algo simples assim, a ideia de ilustrar direto do mobile (sempre um Galaxy NOTE  ) era e é bem atrativa para dias preguiçosos. (Nada de frescuras, para ilustrar, o material que estiver disponível no momento é o melhor material!)



- Shibuya:
2015 e já completamente mixed media. Aí tem manual e digital (tanto no Photoshop como no Illustrator). O formato original dessa ilustração é um A3 e ela foi criada para uma exposição sobre as faixas de pedestre de Shubuya, na Tokyo Design Week de 2015. Meus amigos que são locais amam essa imagem, mas quem não entende muito da Tóquio pop contemporânea tem um pouco de dificuldade de entender. Então eu vou explicar um pouquinho... =)

Sobre o plano de fundo: tem essa padronagem de um sistema binário, então beeeem eletrônico, para representar a realidade tecnológica de Tóquio... seja nos letreiros, nos celulares, 0 e 1 estão presentes em quase tudo. E está chovendo, mas volto para a chuva depois.


O formato "alternativo" da faixa de pedestres é uma perspectiva dessa cena, só que num ângulo um pouco diferente. Para quem realmente conhece Shibuya, esse skyline, contendo o Shibuya 109 (edifício de lojas de departamento) é um ícone. Por essa imagem dá para ter uma noção de leve, mas os cruzamentos de Shibuya são sempre lotados, daí o ponto da chuva: para criar uma narrativa melancólica do cruzamento vazio.  No espaço vazio/negativo do canto inferior esquerdo temos o Hachiko, que acho que todos conhecem, o cãozinho do filme "Sempre ao seu lado". Na época da ilustração a estátua dele morava em Shibuya também, sendo um marco de ponto de encontro para locais e turistas. E, por fim, temos a lenda do akai ito, fio vermelho - representada pelos guarda-chuvas de coração e pela seta, muito difundida (de diversas formas) na Ásia. Conta-se que duas pessoas que estão predestinadas a estar juntas estão presas, pelo mindinho, por um fio vermelho invisível: esse fio pode esticar infinitamente enquanto essas pessoas estiverem longe uma da outra e/ou encurtar quando estiverem próximas, mas quanto mais longo o fio, mais infelizes elas estarão e vice-versa. Então, essa é a narrativa: Um dia chuvoso em Shibuya, no qual duas pessoas que supostamente deveriam ficar juntas não o estão. (Talvez por escolha ou não).



- COLDPLAY - A Head Full Of Dreams:

2016: Competição de camisetas para a turnê A Head Full Of Dreams do grupo COLDPLAY.
Na exposição, o print estava sem o "World Tour 2016" e sem o logo da banda, apenas para focar na arte. Mas como aqui eu estou explicando o por trás das cenas de tudo, foi daí que veio essa ilustração. O balão é feito de uma construções modulares geométricas sagrada: a flor da vida e a árvore da vida, que são interpretadas de formas diferentes por religiões diversas, incluindo a frequência vibracional das cores do arco íris (e dos chakras). Ela é azul clara por causa da comparação que o Chris Martin fez numa entrevista: enquanto o álbum Ghost Stories (gente, meu favorito! ) É a noite, o A Head Full Of Dreams é o dia, então procurei evitar de usar uma cor escura no plano de fundo da camiseta! 




- Tao Okamoto:
2016. Totalmente no Illustrator. Inspirada num editorial da Tao Okamoto (vamos lá, pessoas, a atriz e modelo japonesa que contracenou com o Hugh Jackman no segundo filme do Wolverine?!) - alterei as cores para que ficasse condizente com a paleta de verão do catálogo da marca em questão, mas tenho um pouquinho da versão original também... Já que o drama do vermelho é sempre bem vindo:



- Passion Connected:
Poster A3, totalmente no Illustrator, criado para o Centro de Cultura Coreana no Brasil, com o tema dos jogos olímpicos deste ano: os dois mascotes e uma profusão das estrelas do logo, com um fundo das montanhas sul coreanas. ^_^

(E eu ainda ganhei um Soohorang )

Tem um tempinho sobrando? Olha só essa animação dos mascotes! É a coisa mais fofa!!




- Talk Talk Korea:
Arte digital, A3, com o tema de cultura sul coreana, também tendo em vista os jogos olímpicos de inverno. Obviamente há uma brincadeira com a escala dos elementos e proporções. Shoutout para o tigre branco, que foi bem complicadinho de fazer. Estava 100% enferrujada nesse aspecto. hahaha


Crianças, só mais dois focos e terminamos esse post enorme! =D vamos para ilustração de moda e depois figure skating!



- Draw A Dot x Comme Des Garçons:
2017. Mixed media. Coleção Spring/Summer de 2015 da marca Comme Des Garçons.
Selecionado para o @drawadot, site que faz uma curadoria dos melhores ilustradores de moda. A modelo é uma boneca de pano, fazendo um Ina Bauer, posição de Figure Skating (Patinagem Artística no Gelo). #DRAMA!! hahahaha, agora, falando sério, tem um post sobre essa ilustração aqui!


- Draw A Dot x Calvin Klein:
2017. Arte digital. Coleção Fall/Winter 2018 da Calvin Klein, com curadoria do @drawadot! ♥ Todo o texto da ilustração é parte da letra de uma música, que inclusive é tema do filme O Falcão e o Boneco de Neve, que tocou durante o desfile. E é infernalmente viciante!! Gruda que é uma tristeza! Tenho certeza que todo mundo aqui já ouviu "This is not America... Sha la la la la" =__=' Grudou tanto que precisou entrar na ilustração. Vida que segue! Essa arte também tem um post aqui!


- Draw A Dot x Junya Watanabe:
2018. Nanquim e marcadores. Página de sketchbook. Ilustração inspirada na coleção Summer/Spring 2018 de Junya Watanabe. Na verdade eu não mandei um desenho fechado e a sério para o @drawadot desse open call, tenho aqui uma arte digital, que não tem muito a ver com essa, incompleta. Mais uma para a lista. -__- Por que ela foi para o Planeta da Exposição então? Para fazer graça! Gostei muito dessa coleção, tanto que, de brincadeira, me desenhei em um dos looks!



- Draw A Dot x Mary Katrantzou:
2018. Digital (mas com infinitos desenhos manuais de character design antes!). Draw A Dot x Mary Katrantzou Summer Spring 2018. Conceitualmente, essa talvez tenha sido minha ilustração de moda mais complexa até agora, só para ouvir as pessoas no dia da exposição "ah, olha a menina da Lua!". Quis jogar todos pela janela, quis mesmo. XD Mas ok, nem todo mundo curte moda, então deixa pra lá, vamos explicar! Essa coleção foi baseada na infância da designer em Atenas, por isso uma arquitetura clássica com blocos de lego e formando a base de um balão. As três personagens estão vestidas com looks da coleção, mas ludicamente representam três figuras da mitologia grega: as Moiras! Klothó, Láchesis e Átropos, aquelas que são responsáveis por tecer, enrolar e cortar os fios da vida. Vocês com certeza lembram delas com outras aparências, como por exemplo na animação da Disney, Hércules - na verdade, nas artes ou essas três aparecem como moças muito belas, ou como idosas assustadoras e bruxas. Na ilustração as tranças dos cabelos delas são o que prendem a parte de cima do balão Lua. Enquanto que os balões com pedras dentro (das jóias da coleção) representam a vida das pessoas, amarradas pelas fitas vermelhas (tecidas, enroladas e cortadas pelas moiras). 

Veio dessa complexidade toda a minha escolha por essa ilustração no convite do evento! Teve propósito, rs, e muito, não sou tão louca! 


- Sketches da extensão em illustração de moda:
Escolhidos para ilustrar algo em que eu estivesse trabalhando muito recentemente, esses quatro são parte do livro portfólio que eu entreguei ao final da minha extensão em illustração de moda, na FAAP. Todos baseados em moda e cultura japonesa.
Mixed media, inspirado num editorial da FFW>>MAG. Curiosidade: há uns quinze dias eu fui até a loja buscar minhas lentes de contato e fui abordada por um rapaz de, no máximo, uns quarenta anos. Ele estava sem graça e pediu para tirar uma foto da capa da minha revista. Eu deixei, mas achei estranho, porque é uma revista de DEZ ANOS ATRÁS. Ele me explicou que a modelo da capa do editorial (o mesmo que eu usei para essa imagem) era a mulher dele! =O Tenho mais uma coincidência muito louca para adicionar nesse post!


Lápis de cor e nanquim, com referências à revista japonesa Seventeen. 


Grafite azul e marcadores, inspirado também (como na ilustração vetorial das listras) na modelo e atriz Tao Okamoto.


Grafites azul e vermelho e marcadores. Inspirado na coleção da marca Yoshikimono, de Yoshiki Hayashi, músico e líder da banda X-JAPAN.



E agora, vamos para Figure Skating! Está acabando! Hahahaha
Figure Skating/Patinagem Artística no Gelo é atualmente meu esporte favorito - superando muito F1! Não só pelo elemento arte, mas pelo fato de que os atletas são mais humanos e pessoas menos arrogantes, se comparados com muitas figurinhas do cenário do automobilismo, e, no final do dia, isso conta bastante....a bagagem, o aprendizado, a satisfação emocional. Então por isso, várias ilustrações minhas também vem do universo de Figure Skating, porque a inspiração está em todo lugar: música, coreografia, etc...


- Nathan Chen / Team USA:
2018, para o aniversário dessa criança gênio. Digital. Inúmeras camadas de paciência e Photoshop.
Nathan é um menino bizarramente talentoso, talvez o melhor dessa nova geração que está chegando. E ainda tem que levar o peso que é defender sozinho os EUA todo nessa categoria.

Hoje, ele é o principal rival do meu atleta favorito, mas eu o amo do mesmo jeito, hahahaha
Vou deixar aqui um vídeo de uma performance monstruosa, para quem tenha curiosidade! Nesse momento eu odiei ele demais (mas só da boca para fora )... Assistam, sério! =D


- Tessa Virtue / Team Canada:
2018. Mixed media. Para o aniversário da parte feminina da maior e mais premiada dupla de Ice Dance de todos os tempos!  (Tessa Virtue/Scott Moir)



- The Shibs (Maia and Alex Shibutani) / Team USA:
2017. Digital, para os jogos olímpicos de inverno. Os Shibs são meus favoritos quando o assunto é Ice Dance, entãããão, vou deixar vocês com boas referências, linkando aqui embaixo os programas dos momentos dessa ilustração. Na ordem do caderninho mesmo: Fix You / Evolution / Paradise!








- Alex Shibutani / Team USA:
2018. Digital. Um desafio monstro para a paciência e para a tendinite! Mas gostei do resultado. Foi para o aniversário dele...Agora em Julho é o aniversário da Maia, então talvez eu tente o realismo mais uma vez!



- Yuzuru Hanyu - Ballade No.1:
2018. Digital. Resultado vindo de um erro! Hahahaha ♥ 
E com vocês, senhoras e senhores, o melhor figure skater de todos os tempos! Essa ilustração vem do programa Ballade No.1 - Chopin. Se vocês tiverem pouco tempo, só vejam os vídeos dessa criança, vale cada instante! Quando me perguntam de onde eu tiro a minha inspiração, a verdade é que tanto para a arte, como para a vida, ele é um dos meus maiores exemplos. ^_^





- Yuzuru Hanyu - Ballade No.1 - Ilustrarte:
2017. Aquarela A4 para a Bienal de Ilustração, em Portugal.




- Yuzuru Hanyu - The Phantom of the Opera - Ilustrarte:
2017. Aquarela A4 para a Bienal de Ilustração, em Portugal.



- Yuzuru Hanyu - Notte Stellata:
2017. Aquarela A4 para a Bienal de Ilustração, em Portugal.



E é isso! Missão cumprida! ^_^
Espero que isso responda às dúvidas e curiosidades de quem tinha!
Próximos posts relacionados ao Planeta Ilustração: trabalhos lindos de outros ilustradores e a Universidade do Papel (com mais detalhes )

Nenhum comentário

Back to Top